11 Remédios para Dormir Mais Usados

Para que se tenha qualidade de vida, é importante ter uma alimentação saudável e também uma vida mais ativa com a prática de exercícios físicos. No entanto, estes não são os únicos fatores que impactam nossa saúde. A redução do estresse e a qualidade do sono também podem gerar muitos benefícios.

Com o excesso de tarefas diárias e o aumento do estresse, as pessoas estão cada vez com menos tempo para descansarem de forma adequada e, com isto, os índices de problemas relacionados ao sono só aumentam a cada ano. Muitas vezes, quando as técnicas mais tradicionais e mais naturais não funcionam, a utilização de remédios para dormir é necessária, de acordo com cada caso.

Vamos conhecer abaixo os remédios para dormir mais usados e saber mais informações sobre os suplementos e as soluções naturais para conseguir dormir mais e melhor. Remédio para insônia

Qual a importância do sono para a saúde?
O sono é fundamental para manter o adequado funcionamento do organismo, pois durante o período em que dormimos, o corpo realiza diversas funções metabólicas que promovem a manutenção do organismo. Ele é uma necessidade fisiológica do corpo, essencial para o descanso físico e mental, tendo importância fundamental no funcionamento do metabolismo e principalmente do cérebro.

Dormir bem ajuda na melhoria das funções cognitivas, entre elas a memória, a concentração e o foco. Além disso, durante o período de sono, o corpo atua melhorando o sistema imunológico para combater e prevenir doenças, ajudando a preservar o organismo, evitando o envelhecimento precoce, liberando substâncias que fazem o controle do apetite e também reduzindo os hormônios do estresse, entre muitas outras funções.

Durante as fases mais profundas do sono, o metabolismo libera algumas substâncias que estimulam a regulação da saúde e do sistema nervoso, tais como o hormônio de crescimento, que influencia no desenvolvimento da massa muscular, e a leptina, que é fundamental para evitar o acúmulo de gordura e ajudar no controle do apetite. Dormir é muito importante para manter a saúde do nosso corpo e manter as funções do metabolismo de forma adequada.

Cada pessoa precisa de determinada quantidade sono, dependendo do chamado relógio biológico. Recomenda-se, para a maioria das pessoas, uma média de oito horas de sono por noite para atingir uma boa qualidade de sono. No entanto, algumas pessoas podem atingir este nível de qualidade com menos horas de sono ou até mesmo precisem de mais horas para se sentirem plenamente descansadas.

Além da quantidade de horas, outra questão que envolve o relógio biológico está relacionada aos horários em que cada pessoa se sente mais produtiva e com mais energia. Alguns se sentem muito bem nos períodos da manhã e da tarde, sentindo-se mais cansadas à noite. Outras podem inverter este ritmo e terem mais disposição no período da manhã e da noite, sentindo-se mais cansadas à tarde.

ARTIGOS COMPLEMENTARES
Relógio Biológico – O Que é, Como Funciona, Sono, Gravidez, Envelhecimento e Dicas
Experimento Mostra a Diferença que 2 Horas de Sono Fazem
Dormir Num Quarto Frio É Melhor para sua Saúde, Diz a Ciência
O Que Tomar à Noite para Ter um Melhor Sono e Emagrecer
Infelizmente, dormir mal pode causar diversos problemas de saúde e trazer muitas dificuldades para o dia a dia das pessoas, aumentando o cansaço físico e mental, atrapalhando a produtividade e gerando, no médio e longo prazo, problemas de saúde, fazendo com que algumas pessoas busquem alguns remédios para dormir. Veja, a seguir, alguns dos problemas provocados pela baixa qualidade de sono:

– Obesidade e excesso de peso

Muitos estudos mostram uma relação bem próxima entre a os problemas de sono e o excesso de peso. Sabe-se que durante a fase mais profunda do sono, o corpo promove a liberação e a regulação do hormônio leptina, que é responsável pelo controle do apetite e da saciedade no metabolismo. Portanto, dormir mal ou pouco prejudica o controle natural sobre a fome, provocando um aumento da ingestão diária de calorias e, como consequência, promovendo o ganho de peso.

– Dificuldade de concentração e foco

Dormir mal pode prejudicar as funções cerebrais, atrapalhando a produção dos neurotransmissores responsáveis pela boa memória e pelas habilidades de concentração e foco. Este é, inclusive, um dos primeiros sintomas da privação de sono, sendo um indicativo de que a pessoa não está dormindo o suficiente ou não está conseguindo ter o descanso completo e necessário.

– Aumento dos índices de estresse, ansiedade e depressão

O sono é fundamental para manter as atividades metabólicas do organismo, incluindo a produção de substâncias essenciais para aumentar o bem-estar físico e mental, como a serotonina e a endorfina.

Diversos estudos mostram que dormir mal pode aumentar os índices de estresse, ansiedade e gerar quadros de depressão. Em função disso, muitas pessoas buscam remédios para dormir profundamente para conseguirem trabalhar de forma adequada e terem uma vida normal.

– Causa problemas com o metabolismo da glicose

Alguns estudos demonstram que a privação de sono pode ter efeitos adversos na regulação de glicose, implicando também no descontrole da liberação do hormônio insulina na corrente sanguínea, que é responsável pelo transporte da glicose para dentro das células. Quando o corpo libera mais insulina, ocorre uma redução rápida dos níveis de glicemia, aumentando a sensação de fome.

Este problema pode gerar um aumento da ingestão de açúcar e alimentos contendo carboidratos refinados e, como consequência, ocorre um aumento da quantidade de calorias, provocando o aumento de peso corporal. Outra questão importante é que no médio e longo prazo, o problema gerado no metabolismo da glicose pode causar o desenvolvimento da diabetes.

Quais os remédios para dormir mais usados?
De acordo com uma pesquisa do IBGE, estima-se que mais de 11 milhões de brasileiros utilizam remédios para dormir rápido. Estes números só aumentam a cada ano em função do aumento do estresse e da redução da qualidade de vida. Existem muitas formas de tratamentos naturais, mas boa parte das pessoas opta por utilizar um medicamento.

É sempre importante que se busque a orientação de um profissional da saúde antes da utilização de qualquer remédio para dormir, pois estes são medicamentos controlados e que podem trazer efeitos colaterais aos pacientes, causando também dependência química. Alguns dos tipos e nomes de remédios para dormir mais utilizados do mercado são:

Benzodiazepínicos sedativos hipnóticos: Este é o tipo de remédio para dormir mais comum, podendo também ser utilizado no tratamento para ansiedade, além do tratamento para insônia. Entre eles, estão o frontal (alprazolam), o rivotril (clonazepam), o lexotan (bromazepam), lorax (lorazepam).
Não benzodiazepínicos sedativos hipnóticos: De forma geral, este grupo de remédios para dormir causa menos efeitos colaterais e também menor dependência. Apesar disso, estes não são recomendados para todos os pacientes. Neste grupo está o buspar (buspirona).
Remédios antidepressivos para dormir: Este grupo também é bastante utilizado para aliviar os sintomas da insônia. Apesar de gerar uma sensação de calma e bem-estar, eles são indicados mais para os quadros de depressão. Neste grupo estão o prozac (fluoxetina).
Agonista do receptor de melatonina: Apesar de não serem muito usados no Brasil, este grupo de remédios para dormir atua imitando o hormônio que regula o sono, a melatonina, agindo diretamente na área responsável pelo sono no cérebro.
Quais são os tratamentos e soluções naturais para dormir melhor?
Apesar de muitas pessoas optarem por usar remédios para dormir rápido, existem diversos tratamentos naturais para auxiliar no combate à insônia e que podem trazer melhorias consideráveis no bem-estar físico e mental.

1. Suplemento de melatonina

Os suplementos de melatonina frequentemente são usados para tratar problemas de sono (insônia).

Na maioria dos casos, os suplementos de melatonina são seguros em baixas doses para uso a curto e longo prazos. Mas é recomendado que converse com seu médico sobre a melhor forma de fazer uso do suplemento no seu caso. Crianças e mulheres grávidas ou lactantes não devem tomar melatonina sem falar primeiro com um médico.

A melatonina pode causar efeitos colaterais, mas eles geralmente desaparecem quando você para de tomar o suplemento. Os efeitos colaterais podem incluir:

Sonolência.
Temperatura corporal mais baixa.
Sonhos vívidos.
Sonolência pela manhã.
Pequenas mudanças na pressão sanguínea.
Se a melatonina faz você se sentir sonolento, não conduza ou use máquinas quando estiver tomando.

Em adultos, a melatonina é administrada em doses de 0,2 mg a 20,0 mg, com base no motivo do seu uso. A dose certa varia muito de uma pessoa para outra. Fale com o seu médico para saber a dose certa e para descobrir se a melatonina é ideal para você.

2. Suplemento de valeriana

Valeriana é possivelmente a erva mais famosa para ajudar nos problemas de insônia. Muitas pessoas que não desejam utilizar remédios para dormir profundamente fazem uso da valeria. Existem muito estudos que mostram os resultados positivos da erva. Mas o nível do efeito pode variar conforme o organismo.

A valeriana parece agir como um sedativo no sistema nervoso. Alguns estudos mostraram que pode ser preciso fazer uso continuado, ao longo de vários dias ou semanas, até que os resultados satisfatórios sejam alcançados.

3. Suplemento de passiflora

Passiflora é uma erva com efeito sedativo. É muito usada como calmante e também para ajudar a dormir. Pessoas relatam que em geral tem um efeito mais leve do que a Valeriana, mas pode ser justamente o que você busca. Alguns médicos receitam o uso da Valeriana em conjunto com a Passiflora, mas é recomendado que você consulte o seu para saber o que é mais indicado para você.

4. Meditação

Diversos estudos mostram que a meditação ajuda a melhorar o sono, reduzindo os níveis hormonais relacionados ao estresse e também promovendo o controle da respiração. O hábito de meditar também melhora as funções cognitivas, estimulando a concentração, o foco e o relaxamento da mente e do corpo. Busque um profissional que possa lhe orientar na prática da meditação.

5. Aromaterapia

Existem diversos óleos essenciais que possuem aromas que podem ser utilizados para o tratamento de muitos problemas. Muitos estudos mostram que o óleo essencial de lavanda pode estimular o aumento do tempo de sono, promovendo o sono mais profundo. Utilize um sachê de lavanda sob o travesseiro ou coloque duas gotas do óleo no lençol. Você pode utilizar o óleo de lavanda também para um banho.

6. Acupuntura

Um estudo realizado pela Universidade de Pittsburgh verificou que a acupuntura pode ser um tratamento bastante eficaz para a insônia, mostrando que em cinco semanas a secreção de melatonina durante o sono aumentou de forma significativa, melhorando bastante a qualidade e o tempo total do sono.

7. Alimentação saudável

Existem diversos alimentos que podem auxiliar na redução dos sintomas da insônia, principalmente os alimentos contendo triptofano, que é um aminoácido precursor da serotonina, que é convertida em melatonina posteriormente. Alimentos ricos em carboidratos integrais e em vitamina B6 são ótimas fontes de triptofano, tais como os grãos, a banana, o iogurte, entre outros.

O magnésio também é um mineral que possui propriedades naturais como sedativo. Os alimentos ricos em magnésio são as leguminosas e as sementes, vegetais de folhas verdes escuras, grãos integrais, entre outros.

Conclusão
Os problemas relacionados ao sono estão crescendo a cada ano em função do aumento dos níveis de estresse e da redução da qualidade de vida. Muitas pessoas optam por utilizar um remédio para dormir rápido e buscam um alívio para os sintomas causados pela baixa qualidade do sono. Sempre busque a orientação de profissional da saúde antes de utilizar qualquer tipo de medicamento.

Leia mais https://www.mundoboaforma.com.br/11-remedios-para-dormir-mais-usados/#1qw1qVpGGq1B04XQ.99