Categoria: Beleza

Colágeno Em Pó para a pele: por que usufruir de seus benefícios

Colágeno Em Pó para a pele: por que usufruir de seus benefícios

Ele é responsável por garantir firmeza para pele, unhas, cabelos, cartilagem e tendões

Atualmente, muito se fala sobre a importância do consumo de colágeno, especialmente a partir dos 30 anos. Mas, você sabe exatamente o que é o colágeno e quais são suas funções? Quando e por que é indicada a suplementação?

Primeiramente, é preciso entender que o colágeno compõe a maioria dos tecidos e órgãos do corpo humano. Está presente na pele, cartilagens, ossos e tecido conjuntivo. Ou seja, é produzido naturalmente pelo corpo, mas também pode ser encontrado em alimentos como carne e gelatina, por exemplo, além de em cremes hidratantes e nos (hoje, famosos) suplementos alimentares (em cápsulas, em pó, entre outras formas).

Bruno Vargas, dermatologista graduado em Medicina pela Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), membro titular da Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD) e sócio-proprietário da Clínica Inovatto (em Belo Horizonte), ressalta que na pele, o colágeno é responsável por conferir resistência e firmeza.

“Com o envelhecimento, a pele vai perdendo a capacidade de sintetizar as fibras colágenas, o que leva à perda de sustentação do tecido e ao aspecto envelhecido da mesma. O processo do envelhecimento da pele é acelerado pela degradação do colágeno e pela ação direta da radiação ultravioleta do sol e das fontes artificiais”, explica o dermatologista.

Neste sentido, com o passar dos anos, torna-se importante a reposição de colágeno, tanto através de alimentos, como (em muitos casos) a partir de suplementos alimentares.

Leia também: 10 alimentos anti-idade que você deve incluir na sua dieta

Benefícios do colágeno
Lilian Silva de Andrade, nutricionista da Nutri Factory, destaca que o colágeno tem inúmeros benefícios, dentre eles: a função de contribuir com a resistência e estrutura para todo o organismo, além de proporcionar elasticidade aos tecidos, dando firmeza para pele, unhas, cabelos, cartilagem e tendões.

A nutricionista explica que, em cada parte do corpo, o colágeno irá atuar de uma maneira:

Nos ossos, permite a firmeza.
Nas articulações, ele atua como lubrificante dando a elasticidade articular.
Nos tendões, dá rigidez e força.
Atua no fortalecimento dos ossos, articulações, unhas e cabelos.
Atua na melhora da elasticidade da pele, contribuindo para a melhora da aparência da celulite.
Contribui ainda para a perda de peso, pois promove maior saciedade.
Por tudo isso, o colágeno é visto como um grande aliado da beleza, combatendo, inclusive, o envelhecimento precoce.

Quando a reposição de colágeno é indicada?

FOTO: GETTY IMAGES

É importante ressaltar que, a partir dos 30 anos de idade, ocorre uma redução gradual na produção de colágeno pelo corpo humano. “Nota-se que, a partir dessa idade, os músculos ficam mais flácidos, a densidade dos ossos é reduzida e as articulações e os ligamentos perdem elasticidade e força motora”, comenta Lilian.

Já aos 50 anos, a produção diminui drasticamente e chega apenas a 35% da sua produção total. “Vale destacar ainda que as mulheres sofrem um pouco mais com essa perda na produção de colágeno, devido à produção diminuída do hormônio estrogênio na menopausa. Então se faz necessária uma alimentação saudável com bastante fontes de proteínas, além de exercícios físicos e, muitas vezes, a suplementação, visando assim estimular a produção do colágeno no nosso corpo”, diz a nutricionista.

Leia também: 11 dicas simples para parecer mais jovem

O dermatologista Vargas destaca que não existe regra, mas, de um modo geral: pessoas que possuem uma alimentação deficitária do ponto de vista proteico, atletas e pessoas muito expostas a agentes que aceleram o processo de degradação das fibras colágenas (como o sol e o fumo) são beneficiadas com a suplementação do colágeno hidrolisado.

Alimentos que são fonte de colágeno
Mas, afinal, como contar com uma dieta que contribua para a reposição de colágeno?

Lilian explica que os alimentos mais ricos em colágeno são aqueles de origem animal, como carnes vermelhas ou brancas, e as gelatinas incolores (que possuem menos toxinas). Exemplos que a nutricionista destaca:

Carnes vermelhas;
Peixes;
Ovos;
Leites e derivados como iogurtes (de preferência os menos gordurosos);
Queijos brancos (cottage);
Frango sem a pele.
“Uma dica superimportante: o colágeno irá atuar de forma mais efetiva e eficaz quando associado a uma alimentação saudável, ou seja, é indispensável o consumo de alimentos que sejam ricos em vitaminas e minerais como vitamina C e vitamina E, cobre, selênio, zinco e silício”, acrescenta a nutricionista.

Como repor colágeno no caso de vegetarianos?

FOTO: GETTY IMAGES

No caso de pessoas vegetarianas, é extremamente importante realizar um acompanhamento com um profissional da saúde, para que uma dieta equilibrada e saudável seja prescrita. “Uma das formas mais eficazes para se obter o colágeno nesses casos é uma dieta rica em proteínas vegetais e alimentos fontes de vitamina C (que auxiliará na melhor absorção desses nutrientes)”, diz Lilian.

Leia também: 14 truques de beleza da vovó que ainda funcionam

As melhores fontes vegetais, de acordo com a nutricionista, são:

Cereais (milho, trigo, aveia, arroz, quinua etc.)
Leguminosas (lentilha, feijões, soja, grão de bico, ervilha etc.)
“O primeiro passo para uma boa produção de colágeno é manter uma alimentação bastante diversificada, rica em alimentos de fonte integral, selênio (castanha do Brasil), zinco (semente de girassol), vitamina C ( laranja, acerola) e vitamina E (amêndoas)”, acrescenta Lilian.

Suplementação com colágeno

FOTO: GETTY IMAGES

Atualmente, a suplementação de colágeno apresenta-se de várias formas: em pó, balas, chocolates, shakes, gelatinas, chás, iogurtes e cápsulas. “Vale lembrar que a forma mais eficaz e eficiente deve ser sempre orientada por um profissional habilitado, e respeitando sempre a necessidade de cada indivíduo”, diz Lilian.

“Estudos comprovam que a forma em pó hidrolisada é a mais eficaz (cerca de 90% é absorvida), isso facilita a manter uma pele firme, devido ao processo de hidrólise. Uma pequena quantidade do produto contém uma maior concentração de colágeno puro e ele será totalmente absorvido pelo organismo. Uma das formas menos eficientes é a gelatina, que contém baixa concentração de proteína, além disso, é rica em açúcares, corantes e aditivos químicos”, destaca a nutricionista.

Quando o consumo é em cápsulas, segundo Lilian, recomenda-se tomar uma ou duas cápsulas por dia, juntamente com um copo de água.

Leia também: 24 receitas de suco verde para adicionar ao seu cardápio

Um detalhe é que: por mais que existam alguns cosméticos que contem com colágeno em suas formulações (ou seja, para uso tópico), são as versões orais as mais eficientes, por agirem de forma progressiva na camada mais profunda da pele.

Onde comprar colágeno
Abaixo você confere algumas apresentações do colágeno disponíveis para venda:

Vale destacar que, apesar de ser encontrado facilmente à venda, o ideal é utilizar a suplementação de colágeno seguindo as orientações de um profissional da saúde.

Leia também: comprar Colágeno em pó

Depoimentos de quem usa
Christianne Abila, 29 anos, jornalista, usa o colágeno hidrolisado em pó há cerca de 2 anos. “Minha nutricionista indicou na época e, desde então, não parei mais de tomar, porque acho que realmente dá resultado. Notei uma diminuição de celulite e melhora do aspecto da pele em geral. Tudo isso, é claro, porque associo o colágeno com uma boa alimentação e exercício físico”, diz.

Patrícia Vieira, 42 anos, funcionária pública, também usa o colágeno em pó há pelo menos 3 anos. “Sinto uma boa diferença na minha pele, muita gente me pergunta inclusive que tipo de tratamento faço porque, para minha idade, considero ter poucas rugas e uma pele no geral muito boa (risos)”, comenta.

“Costumo comprar o colágeno em pó sem sabor, em farmácia de manipulação mesmo, e aí o misturo em polpas de frutas (para suco) diariamente, prático e eficiente”, acrescenta Patrícia.

Contraindicações no uso de colágeno

FOTO: GETTY IMAGES

Por se tratar de um alimento natural, não há contraindicações para indivíduos saudáveis, de acordo com a nutricionista Lilian. “Orienta-se não ultrapassar a recomendação da Organização Mundial da Saúde (OMS), que preconiza o consumo de 9g de colágeno por dia para indivíduos adultos”, diz.

O dermatologista Bruno Vargas destaca que, como no caso de qualquer outro alimento, o excesso não é bem-vindo. “Existe uma quantidade de aminoácidos necessária diariamente para a produção das proteínas (por exemplo, o colágeno) que o organismo necessita. O conselho é: use conforme a prescrição do seu médico, que saberá qual a quantidade ideal para o seu corpo (baseado no peso, atividade física etc.)”, ressalta.

Vale lembrar que, como o colágeno é uma proteína de origem animal, a contraindicação existe para pessoas vegetarianas ou que não possam consumir produtos de origem animal. Nesses casos, é muito importante realizar acompanhamento com um profissional da saúde, para que uma dieta equilibrada e saudável seja indicada.

ENTENDA AS PRINCIPAIS DIFERENÇAS ENTRE COLÁGENO TIPO I E II

ENTENDA AS PRINCIPAIS DIFERENÇAS ENTRE COLÁGENO TIPO I E II

Dores nas articulações como quadril, ombros e joelhos? Entenda as principais diferenças entre colágeno tipo I e II e como eles podem ajudar você a virar o jogo.

Quem pratica atividades físicas de impacto, sente dores ou desconfortos nas articulações (como joelho, quadril, mãos e ombros) e até mesmo quem se preocupa com o futuro e quer prevenir problemas articulares, já deve ter ouvido sobre a suplementação de colágeno.

Mas você sabe a diferença entre o colágeno tipo I e tipo II? Pra deixar a sua compreensão mais clara, separamos respostas resumidas para algumas perguntas frequentes sobre o assunto. Confira:

1) O que são articulações?

De forma geral, as articulações são constituídas pela cartilagem, líquido sinovial e uma cápsula que protege e reveste toda essa estrutura. A cartilagem presente na extremidade do osso irá funcionar como um amortecedor evitando o contato e atrito entre os ossos, sua constituição é feita principalmente de colágeno tipo 2 (cerca de 60%). E o líquido sinovial, inserido dentro da cápsula articular funcionará como um lubrificante para toda essa engrenagem funcionar.

2) Quais as principais doenças articulares?

As principais doenças relacionadas à degeneração das articulações são osteoartrite ou ostreoartrose e artrite reumatoide.

Leia também: Colágeno tipo 3 e 1

O que se observa em comum entre essas patologias são a presença de células inflamatórias que atacam a cartilagem das articulações, promovendo o desgaste. Não há equilíbrio e o corpo não consegue remodelar a cartilagem degradada gerando um processo de inchaço, dor, rigidez, inflamação local, redução da mobilidade e da qualidade de vida.

3) Quais os principais sintomas relacionados aos problemas articulares??

– Dor e rigidez
– Inchaço
– Ruído com o movimento articular ou estalos
– Diminuição da função da articulação

4) Quais as principais diferenças entre suplementar colágeno tipo I e II?

A forma de colágeno tipo I melhor absorvida pelo corpo são peptídeos bioativos de colágeno e possuem uma função nutricional, ou seja: é como se a molécula do colágeno fosse quebrada em pequenos fragmentos para ser facilmente absorvida pelo corpo e ajudar na formação do colágeno que compõe a cartilagem da articulação. Já o colágeno tipo II é a molécula na sua forma íntegra, extraída do esterno do frango que, quando em contato com o organismo, exerce uma ação anti-inflamatória reduzindo a inflamação articular e auxiliando no processo de recomposição da cartilagem. O colágeno tipo II é a principal proteína estrutural na cartilagem e é responsável pela sua resistência, tração e firmeza.

Leia também: Colágeno tipo 3 e 1

5) Já uso o Colágeno tipo I, devo utilizar também o colágeno tipo II?

O uso complementar do colágeno tipo I e II potencializa o resultado do tratamento, uma vez que estas substâncias agem através de mecanismos diferenciados (nutrição e redução da inflamação), o que otimiza muito o resultado clínico.

Os peptídeos bioativos de colágeno tipo I irão fornecer aminoácidos para a formação do colágeno no corpo, como pele e cartilagem articular. Estudos mostram que 30 minutos após ingestão os aminoácidos se deslocam principalmente para pele e articulações e, que após 6 horas 90% do que foi ingerido é absorvido e utilizado pelo corpo. Já o colágeno tipo II tem uma função especificamente articular, promovendo uma ação anti-inflamatória, reduzindo inflamação e degeneração articular.

6) Minhas articulações já têm problema e sinto muitas dores. Adianta eu começar a usar o produto agora? A resposta é sim! O uso de suplementação com colágeno vai auxiliar de duas maneiras:

1) reduzir o processo inflamatório e a dor;

2) retardar a progressão da doença e degeneração da cartilagem.

Tanto na osteoartrite como na artrite reumatoide, não há um tratamento farmacológico capaz de curar essas patologias e o manejo é feito apenas com medicamentos que aliviam a dor. Esses medicamentos mascaram (não tratam) a progressão da doença e geram diversos efeitos colaterais, como: úlcera gástrica, asma, rinite, complicações cardiovasculares entre outras.

7) Em quanto tempo de tratamento devo começar a perceber os resultados da suplementação de colágeno tipo I e II?

De maneira geral, os estudos apontam que a melhora nos sintomas da dor começam a ser observadas após 4 semanas de ingestão diária. O tratamento das doenças articulares deve ser feito a longo prazo.

8) Por que a mistura dos 2 tipos de colágeno pode trazer melhores resultados?

Porque eles agem em sinergia para a saúde articular. Enquanto os peptídeos bioativos de colágeno tipo I irão fornecer substrato, ou seja, aminoácidos para o corpo formar internamente o tecido cartilaginoso das articulações, o colágeno tipo II vai reduzir a inflamação e degradação do colágeno presente na articulação.

9) Quais os benefícios que um suplemento que contemple em sua composição colágeno tipo I e II pode trazer?

Melhora da mobilidade e flexibilidade das articulações;
Redução da inflamação;
Auxilia na manutenção da saúde articular;
Previne a lesão articular.

10) Qual a melhor hora para tomar o colágeno?

Estudos indicam que a melhor hora para consumo do colágeno é em jejum, ou 2h após qualquer refeição.

Esperamos que este conteúdo tenha ajudado você. Em caso de dúvidas, procure um profissional da área da saúde.

Colágeno: emagrece, deixa a pele firme e protege os ossos

Colágeno: emagrece, deixa a pele firme e protege os ossos

Saiba como tirar proveito dos inúmeros benefícios dessa substância

O sucesso do colágeno hidrolisado não é de hoje. Há pelo menos três anos ele conquistou o público feminino com a promessa de firmar a pele e amenizar a fome. De lá para cá, a procura por essa substância – até então encontrada apenas em cápsula, sachê e bala manipulada -, triplicou. E, para acompanhar a demanda, as opções de produtos prontos com colágeno hidrolisado também aumentaram bastante. É só dar uma olhada na prateleira das farmácias e supermercados: além de balas e bombons de diferentes formatos, ele pode ser encontrado em águas aromatizadas, barrinha de cereais e até granola.

E as mulheres, claro, são as maiores consumidoras. Mas será que funciona mesmo? Ainda há poucas pesquisas científicas sobre o assunto, mas a maioria delas afirma que, sim, o colágeno ajuda a combater os quilinhos extras e a adiar o envelhecimento precoce.

O segredo dessa substância está no fato de ser uma proteína que o próprio organismo é capaz de produzir. Uma de suas principais funções é formar as fibras que dão sustentação à pele. Cabelo, unhas, ossos e cartilagens (tecidos que amortecem as articulações) também são beneficiados. Ou seja, ela garante que o corpo funcione bem por dentro e fique bonito por fora.

Confira também: Quer reforçar seu colágeno? Vá de chá de hibisco e vitamina C

Porém, pesquisas mostram que, a partir dos 30 anos, mesmo com uma alimentação balanceada, há uma perda anual em torno de 1%. Dos 50 anos em diante, a queda é bem mais drástica. A produção de colágeno cai para apenas 35%, em média. “O que as mulheres mais sentem é a redução da elasticidade e a hidratação da pele”, alerta a nutricionista Tatiana Pimentel, de Santos (SP). Daí para aparecer rugas, celulite e flacidez é um pulo. É por isso que muitos nutricionistas, nutrólogos e dermatologistas consideram a suplementação com o colágeno hidrolisado importante a partir dos 30 anos e essencial depois dos 50.

O melhor Colágeno hidrolisado na dose certa
Extraído do osso e da cartilagem do boi, o colágeno presente nos suplementos deve ser hidrolisado – ou seja, passar pelo processo de hidrólise (quebra pela água das moléculas de proteína) para que possa ser absorvido facilmente pelo organismo. Nesse formato, ele é considerado alimento pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) e, portanto, você pode comprá-lo sem prescrição médica.

Mas, para obter os efeitos esperados, precisa acertar na dose. Em uma avaliação da Clínica Medcin Instituto da Pele, em São Paulo, os pesquisadores observaram que o consumo de 5 gramas de colágeno por dia, durante seis meses, foi capaz de melhorar a pele das pacientes entre 35 e 60 anos. Houve um aumento de 5,5% na firmeza e 10% na elasticidade. Mas a maioria dos especialistas recomenda uma dose um pouco maior: de 8 a 10 gramas de colágeno por dia.

Amigo da perda de peso
Quem está na faixa dos 20 pode ficar tranquila: ainda não é hora de aderir a doses extras dessa proteína. Uma dieta caprichada em alimentos que estimulam o organismo a produzir colágeno é suficiente.

Agora, se você vive estressada, fuma, abusa do sol e dos doces, ele começa a falhar mais cedo. Resultado: “A elasticidade da pele fica comprometida, surgindo flacidez e até estrias”, diz a dermatologista Carmem Durazzo, da Clínica Cliniderm, em São Paulo. E, sozinha, a dieta pode não dar conta. A suplementação pode ser indicada antes dos 30 anos para auxiliar na perda de peso, pois ameniza e adia a fome.

E mais: Colágeno: por que o suplemento é bom para a saúde e ajuda no esporte

“Diluído na água ou no suco, o colágeno em pó preenche o estômago rapidamente e faz com que o processo de esvaziamento aconteça mais devagar, prolongando a sensação de saciedade”, explica a nutricionista Sheila Mustafá, da Clínica Sheila Mustafá Nutrição e Estética, em São Paulo. Com isso, você consome menos calorias e emagrece e, ainda, diminui o risco de ficar flácida.

“O colágeno ajuda a manter a pele hidratada, melhorando a qualidade das fibras de sustentação”, complementa Sheila. Se você tiver oportunidade, consulte um profissional que possa prescrever o suplemento de acordo com suas necessidades. O resultado, com certeza, vai ser ainda melhor!

Dieta com colágeno
O suplemento não diminui a importância de uma dieta rica em alimentos que estimulam a produção de colágeno no organismo. Essa lista inclui carne magra, frango, peixe e ovo (especialmente a clara). Invista também em legumes, verduras, frutas e castanhas. “Eles têm os nutrientes (vitaminas A, C e E, selênio e zinco) que garantem a absorção do colágeno”, avisa o nutrólogo Mohamad Barakat, de São Paulo.

E a gelatina de caixinha? A proteína usada na composição não é hidrolisada (ou seja, é difícil de ser absorvida). Mas não deixa de ser uma boa opção de sobremesa leve. Apenas tenha o cuidado de escolher um tipo sem corantes artificiais, pois são substâncias que prejudicam a pele.

Bom para quem malha
Se você malha, tem mais um bom motivo para adotar o suplemento: ele é aliado das articulações. Em 2006, durante o encontro do American College of Sports Medicine, em Indianápolis, nos Estados Unidos, a apresentação de um estudo alemão com 100 atletas, de 15 a 80 anos, mostrou que o consumo de colágeno hidrolisado traz uma melhora importante nas articulações. Após 12 semanas consumindo 10 gramas do suplemento por dia, 79% dos participantes apresentaram maior mobilidade dos joelhos e dos quadris. A maioria relatou menos dor nessas articulações ao realizar exercícios de esforço e ao subir escada. Uma parte dos atletas também teve menos desconforto nos ombros.

Diferentes formas do suplemento
Sachê: é a versão mais indicada para diminuir a fome e prolongar a saciedade. O conteúdo de um sachê costuma ter o colágeno hidrolisado na dose diária recomendada – ou seja, de 8 a 10 gramas. Há ainda a opção de você mandar manipular o pó, que pode ser diluído na água, no suco ou no iogurte.

Cápsula: atende a quem não gosta do sabor adocicado do pó. Mas, para atingir a dose diária, você tem de consumir de 10 a 12 cápsulas por dia. E não traz a mesma saciedade da primeira versão.

Água aromatizada: algumas marcas concentram na garrafinha, geralmente entre 300 e 360 mililitros, a dose diária recomendada de 10 gramas de colágeno.

Bala: essa opção costuma oferecer em torno de 1,5 grama de colágeno por unidade. É bem pouco, mas vale para complementar o consumo diário da proteína. A bala também tem a vantagem de estimular a mastigação, além de enganar a vontade de comer um docinho.

Bombom: assim como a bala, tem pouco colágeno. Consuma-o como opção de um docinho que traz um benefício extra.

Granola, barra de cereais & cia.: optar por esses produtos também ajuda a complementar a dose diária de colágeno. Mas cuidado com os produtos carregados de açúcar e corantes – substâncias com fama de prejudicar a qualidade da pele.

Nas prateleiras
1. Gelamin Beauté, Advanced Nutrition


(Divulgação/Divulgação)

Colágeno hidrolisado em pó. O sachê (10 g) oferece 8 g da proteína, além de vitaminas D e E, biotina, cobre, selênio, zinco e manganês. Nos sabores laranja, tangerina e limão. R$ 76,49 na Centauro.

2. Colágeno, Sunnutrition


(Divulgação/Divulgação)

Cápsula com 650 mg de colágeno hidrolisado. O fabricante sugere duas unidades, quatro vezes ao dia. Pote com 120 cápsulas. R$ R$ 38,68 na Onofre.

3. Gelavita, Sanavita


(Divulgação/Divulgação)

Primeira gelatina de colágeno hidrolisado do mercado. Uma colher de sopa (10 g, a porção para o preparo de uma tacinha), contém 4,5 da proteína. Os corantes e aromatizantes são naturais. Nos sabores frutas amarelas e frutas vermelhas. O pote de 200 g rende 20 porções. A marca recomenda o consumo de duas porções ao dia. R$ R$ 46,71 à vista no site 4fitclub.

Resenha: Lift Gold Serum

Resenha: Lift Gold Serum

Uma das coisas que mais me impressionou durante a semana de moda foi esse produto de hoje! O Lift Gold Serum…

Uma das coisas que mais me impressionou durante a semana de moda foi esse produto de hoje! O Lift Gold Serum foi lançado e já está fazendo muito sucesso, pois funciona magicamente definindo a juventude da pele reduzindo o aspecto de cansado e eliminando as rugas, linhas de expressão e bolsas abaixo dos olhos completa e instantaneamente.

A P L I CA Ç Ã O: Basta aplicas em pontos estratégicos do rosto dando leves batidinhas e com a pele totalmente seca, por 5 minutos tente ficar sem forçar suas expressões faciais.O efeito é imediato!
D Ú V I D A S:
Posso aplicar maquiagem por cima do produto? R.: É recomendável que não, principalmente produtos que possuam óleo ou água na composição
O produto funciona como um tratamento? R.: Não, é claro que tem ativos que ajudam a melhorar a pele, mas esse não é o objetivo principal.
O produto deixa a pele oleosa? R.: Muito pelo contrário! É até importante que sua pele esteja bem hidratada para não ressecar.
Quanto tempo o efeito do produto dura? R.: Pode durar até 8 horas.
Tem alguma outra dúvida? Me deixe nos comentários que eu responderei com certeza!

Assistam o vídeo da Lift Gold funciona pra vocês verem a nítida diferença de com e sem o produto em peles mais maduras.
Então, o que acharam desse produto? Ficaram curiosas pra testar? Tenho certeza que qualquer mamãe e vovó iriam amar ganhar esse quit com 20 aplicações, porque eu juro, o produto funcionou até na minha pele então imagina na delas!